BDMM - Modelo de Maturidade em Gerenciamento de Decisões



Clique para ampliar...
As experiências iniciais com o Modelo de Decisão confirmam que as Decisões de Negócio e o Modelo de Decisão são ativos que estão ganhando cada vez mais atenção por parte da direção das empresas.

Assim sendo, fica mais fácil envolver os gestores do negócio mais cedo em projetos de importância para a empresa, como melhoria de processos e esforços para transformação dos negócios. Isso acontece porque as pessoas do negócio reconhecem facilmente que o valor não está nas regras ou declarações de negócio individuais, mas na decisão de negócio completa. Dessa forma, Modelos de Decisão inteiros (mesmo que sem detalhamento) emergem como o ativo que conduz aos objetivos do negócio. Ao mesmo tempo, as conexões naturais do Modelo de Decisão com o Modelo de Motivação de Negócio-BMM, o Gerenciamento de Processos de Negócio-BPM e a Arquitetura Orientada para Serviços-SOA são tão atraentes que elas elevam o gerenciamento de decisões de negócio ao mesmo status dos serviços ou ativos tecnológicos críticos. Não apenas isso, mas se torna muito mais fácil incorporar Modelos de Decisão mais cedo em projetos de desenvolvimento de sistemas e de arquitetura organizacional. Novamente, os Modelos de Decisão (mesmo que incompletos) emergem como um ativo que orienta a arquitetura empresarial e de sistemas para suportar os objetivos de negócio. 

Assim, o impacto do Modelo de Decisão nos negócios e na aplicação da tecnologia de informação é significativo o suficiente para justificar o desenvolvimento de um modelo de maturidade focado nas Decisões de Negócio e não nas regras de negócio, e chamá-lo Modelo de Maturidade em Decisões de Negócio (BDMM).

O BDMM e a Maturidade do Processo (não da Modelagem)

É importante notar que modelos de maturidade endereçam a qualidade de implementação de um processo. Modelos de maturidade não validam a qualidade de uma abordagem de modelagem específica, mas verificam apenas que a mesma é aplicada de forma correta e coerente. Assim, o BDMM não é uma medida da efetividade do Modelo de Decisão como uma abordagem de modelagem. Ao invés disso, o BDMM é uma medida do processo de Gerenciamento de Decisões de Negócio. A integração da Modelagem de Decisão nessa prática, no entanto, eleva o status e a importância das decisões de negócio como um ativo gerenciável que merece seu próprio processo de gerenciamento. 

Assim, o BDMM mede a qualidade do processo de Gerenciamento de Decisões de Negócio, onde o objetivo é que um processo de boa qualidade proporcione uma lógica de negócios de alta qualidade por trás das decisões de negócio. Melhorando a qualidade das decisões de negócio, melhoramos o desempenho do negócio em si. Assim sendo, embora o objetivo original do Modelo de Maturidade de Regras-RMM tenha sido avançar na prática do gerenciamento de regras de negócio, o objetivo do Modelo de Maturidade de Decisões de Negócio-BDMM é iniciar e evoluir a prática do gerenciamento de decisões de negócio. Isso significa avançar na governança das decisões de negócio para aumentar a qualidade e a agilidade das decisões. Hoje, a única forma de fazer isso de uma maneira rigorosa é através da aplicação do Modelo de Decisão.

O Modelo de Maturidade em Decisões de Negócio

Um resumo diagramático de alto nível do BDMM é mostrado na figura acima. É importante notar que, mesmo que o modelo defina a maturidade do processo de decisão, os títulos para cada nível do BDMM (não Gerenciado, Visível, Ágil, Alinhado, Preditivo e Autônomo) se referem a qualidades antecipadas para os Modelos de Decisão criados em cada nível, e não às qualidades do processo.

Características Únicas do BDMM

O BDMM possui duas características únicas, baseadas nas experiências adquiridas na prática com o RMM. Primeiro, como o RMM, mas único entre os modelos de maturidade, o modelo incorpora um vetor de valor para o negócio indicando as consequências esperadas em cada nível dentro do modelo. Segundo, o modelo é adaptável para uso com um modelo de maturidade de arquitetura. Assim, se a organização já utiliza um modelo de maturidade de arquitetura, o BDMM pode servir como um complemento para avaliar o alinhamento entre a maturidade do BDM e a maturidade da arquitetura.

As características dos Vetores do BDMM

O BDMM pode ser aplicado em qualquer organização ou projeto de qualquer tamanho, complexidade, e maturidade. Ele proporciona três vetores para cada nível.

Valor para o Negócio: O vetor do Valor para o Negócio identifica as consequências relevantes para o negócio em um nível particular de maturidade no processo de Gerenciamento de Decisões de Negócio (BDM). Isso é útil ao construir um roteiro para, e pesando os riscos/recompensas de, os investimentos para o desenvolvimento de um dado nível de maturidade. Determinar o nível ótimo para uma dada organização é um importante uso do BDMM. Assim, esse vetor é o ponto de partida para avaliar o nível de maturidade atual ou objetivo do BDMM. Ou seja, organizações usam esse vetor para selecionar um nível BDMM objetivo. A partir daí os outros vetores definem as características e critérios de medição necessários para atingir esse nível. Cada organização pode adaptar um conjunto particular de características e critérios para medir o valor atual para o negócio obtido em um determinado nível de maturidade em relação aos benefícios sugeridos pelo modelo.

Arquitetura do Negócio: O vetor da Arquitetura do Negócio descreve a maturidade do processo de Gerenciamento de Decisões de Negócio (BDM) dentro da Arquitetura do Negócio. Esse vetor pode ser adaptado para alinhar com o a prática de arquitetura de negócios da organização. Ele pode usar características básicas para a maturidade da arquitetura como encontrado em modelos de maturidade da arquitetura. Essas características deveriam, então, ser modificadas especificamente para atender aos propósitos da maturidade das Decisões de Negócio.

Governança do Negócio: O vetor de Governança do Negócio descreve a maturidade da governança do processo de Gerenciamento de Decisões de Negócio (BDM) e é medido através de características específicas desse vetor. Essas são um conjunto diferente das características de governança dos modelos de maturidade da arquitetura.

Os Níveis de Maturidade em Gerenciamento de Decisões de Negócio

Nível 0: Não Gerenciado

Neste ponto, a empresa ainda não implantou qualquer tipo de processo de gerenciamento de decisões. Nenhuma ferramenta é necessária para o Nível 0, mas o risco de perda de controle do negócio, bem como o risco de mudanças no negócios, é elevado. Juntamente com a incapacidade de prever o impacto e o esforço de mudanças empresariais e os custos elevados para a mudança, o Nível 0 representa falta de governança e de arquitetura de gerenciamento de decisões, o que pode fazer com que a empresa fique para trás da concorrência.

Nível 1: Visível

O Nível 1 significa que uma organização adotou uma ferramenta de desenho que se comporta como nos primeiros dias do gerenciamento de decisões, quando o Visio e Excel eram o único meio para a modelagem informal. Este nível não oferece qualquer forma de execução dos modelos, então os requisitos são entregues para serem codificados na linguagem preferencial da companhia. A desconexão entre o desenho e execução significa que há ainda relativamente elevado risco de perda de controle do negócio e das mudança no negócio. No entanto, o Nível 1 representa uma arquitetura informal de gerenciamento de decisões e, uma vez que os analistas de negócios liderem a descoberta das decisão de negócios para o desenvolvimento lógico localizado, uma capacidade para analisar manualmente as decisões.

Nível 2: Ágil

No Nível 2, a modelagem e a execução das decisão se unem para uma automatização limitada. Neste ponto, as empresas podem reduzir grandemente o risco de perda de controle do negócio em nível de projeto individual, e podem automatizar mudanças nos negócios diretamente a partir de modelos de decisão. A arquitetura do negócio torna-se um pouco mais formal, com um processo em nível de projeto e padrões de decisões de negócio em um nível mais amplo. Mais importante, este é o primeiro nível em que modelos de decisão se tornam ativos verdadeiramente vivos, onde as alterações são sempre feitas aos modelos e nunca mais diretamente no código de automatização!

Nível 3: Alinhado

Neste nível a empresa adota um conjunto de ferramentas através do qual pode ganhar visibilidade entre projetos e capacidade multifacetada de execução, significando que podem ser utilizadas quaisquer/muitas tecnologias alvo. A visibilidade do Nível 3 reduz consideravelmente o risco de perda de controle dos negócios em todo o espectro dos projetos dentro da organização, e as empresas podem começar a prever o impacto de suas mudanças de negócios. Este é o primeiro nível no qual os modelos de decisão se tornam verdadeiramente independentes de tecnologia – passíveis de serem executados em futuras tecnologias com pouca ou nenhuma alteração nos próprios modelos. A maior consistência entre as unidades de negócio e a automatização crescente ajudam a reduzir os custos por mudança, na medida em que a arquitetura do negócio se torna um conjunto formal de padrões de decisões de negócio.

Nível 4: Preditivo

Aproveitando a natureza mais abrangente do Nível 3, o Nível 4 introduz a capacidade de prever o futuro a curto prazo, e avaliar o impacto das mudanças nos negócios neste futuro. Com padrões detalhados introduzindo uma governança rigorosa da arquitetura de negócios, as empresas podem estabelecer um controle firme das suas políticas de negócio. Mais importante é a capacidade de usar o histórico de decisões passadas para redesenhar um novo futuro para a tomada de decisões.

Nível 5: Autônomo

Este é o estado ideal para o gerenciamento de decisões — a capacidade de otimizar as políticas do negócio de acordo com condições em mudança em tempo real, através de mudanças previsíveis nas métricas e modelos de negócios. O Nível 5 é a introdução da empresa verdadeiramente ágil, através de uma arquitetura de negócios que oferece suporte a melhoria contínua dos processos e a plena integração do gerenciamento de decisões com o planejamento de negócios.