Notícias‎ > ‎

Arizona Public Service: Arquitetura Corporativa Orienta Investimentos Alinhados com as Capacidades

postado em 10 de nov. de 2019 06:47 por Antonio Plais   [ 10 de nov. de 2019 15:40 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente publicado em IT World, por Gene Leganza, em 25 de setembro de 2019

Prêmio InfoWorld-Forrester de Arquitetura Corporativa 2019

A Arizona Public Service (APS) é uma empresa de eletricidade privada, integrada verticalmente, que atende a maior parte do Estado do Arizona, EUA. Em 2018, a APS centralizou sua prática da Arquitetura Corporativa com o objetivo de melhorar o planejamento, orientar a padronização e garantir soluções de tecnologia da informação consistentes e resilientes.

Em 2019, a equipe de Arquitetura Corporativa da APS se uniu com as equipes de finanças e aplicativos para usar o planejamento baseado em capacidades para orientar o alinhamento de cima para baixo do portfólio de investimentos de TI. Pela primeira vez, a APS criou uma linha de visão entre a estratégia de negócio e as capacidades que ajudarão a APS a atingir suas metas de negócio, resultando em roteiros de investimentos. Foi criado um conselho de investimentos de TI, liderado pelo negócio, para estabelecer de cima para baixo as prioridades de investimento com base nos roteiros das capacidades.

Os resultados específicos do desenvolvimento deste roteiro incluíram:
  • Direção executiva sobre as prioridades críticas, necessidades de investimento e capacidades futuras.
  • Um portfólio mais balanceado - ao invés de alocar a maioria dos recursos em investimentos voltados para a confiabilidade da grade, a APS foi capaz de alocar os investimentos por todas as áreas com alta prioridade.
  • Maior consciência das dependências críticas entre os projetos e as unidades de negócio
  • Foco aumentado em soluções corporativas que habilitaram a APS para investir uma vez enquanto melhorava várias áreas
O papel da Arquitetura Corporativa foi:
  • Estabelecer uma estrutura para o planejamento baseado em capacidades
  • Facilitar as sessões com o negócio e a TI para capturar as necessidades de negócio e documentá-las em roteiros de investimento de IT para os próximos 3 a 5 anos. Os roteiros foram criados para 24 diferentes áreas de capacidade. Ao longo de um período de 3 meses a equipe facilitou mais de 200 horas de sessões de roteirização, envolvendo mais de 100 líderes da APS. Mais de 200 capacidades foram avaliadas em relação à sua maturidade e importância para os próximos 3 a 5 anos
  • Fornecer suporte para a decisão executiva através da avaliação dos roteiros em relação a tendências comuns e considerações sobre as implicações corporativas
  • Estabelecer uma estrutura para a priorização de cima para baixo dos investimentos
  • Usar os roteiros como uma plataforma para engajar os executivos de negócio na alavancagem mais efetiva do panorama de TI, incluindo a inovação tecnológica, a racionalização dos aplicativos e o gerenciamento dos serviços
Os executivos mudaram os investimentos para permitir que a APS:
  • Aumentasse os investimentos em analíticos e automação de processos como forma de aumentar a eficiência dos processos da cadeia de negócio
  • Atingisse menores "quebras" dos investimentos causados pelo desalinhamento das prioridades e/ou demandas ignoradas
  • Fizesse menos investimentos únicos suportando apenas unidades de negócio individuais. O roteiro forneceu para as lideranças visibilidade sobre os investimentos corporativos transversais que poderiam beneficiar vários grupos
  • Acelerasse a melhoria das métricas de desempenho relacionadas com iniciativas de Acessibilidade e Transparência
  • Melhorasse o planejamento e orçamentação de longo prazo
Sergei Shelchkov, arquiteto corporativo no Sberbank, da Rússia, disse: "Este é um excelente caso do papel da Arquitetura Corporativa no alinhamento entre o negócio e a TI e na realização de um programa de valor. Nós gostamos de ver como eles amadureceram sua abordagem de governança com base na sua auto-avaliação e no gerenciamento do seu catálogo de serviços de Arquitetura Corporativa".